! O Corneta | O ABC que não parou

O ABC que não parou

No dia 14 de junho, dia da Paralisação Nacional contra a Reforma da Previdência, a peãozada da Termomecânica no ABC não teve nenhuma condição de decidir parar a produção em protesto, pois não houve assembleia e dessa vez, ao contrário da paralisação de abril de 2017, nem mesmo a garagem dos fretados parou. Foi (quase) um dia normal. A seguir, o que disseram os funcionários da empresa sobre este dia:

“A união faz a força mas na TM essa tese não funciona, a opressão contra os funcionários é o que manda. A TM pediu aos líderes que entrassem mais cedo para ficar de olho caso alguém viesse agitar na frente das fábricas, mas não passou por lá não!”

“Muitos não são a favor da reforma da previdência e muitos não foram a favor dessa paralisação do dia 14. Tanto que o maior comentário que ouvi era que essa greve foi organizada pelo PT.

Na balança muitos estão ficando sem saber em o que acreditar porque é tanta corrupção…”

“O sindicato nem existe pra nós da TM, aqui o sindicato não tem participação e atuação nenhuma”.

“Na TM não para nem se estacionar um tanque de guerra na porta. Realmente foi uma greve de pijama. Mesmo estacionando um tanque de guerra na porta é capaz de o sujeito criar asa e entrar voando pra trabalhar”

“Não temos força, qualquer tipo de represália por parte do chão de fábrica é tratado com demissão e ninguém quer ficar desempregado.”