! O Corneta | Peão exige mais voz na Termomecânica

Peão exige mais voz na Termomecânica

O conselho da TM quer manter a ditadura legada pelo Salvador Arena, mas não quer manter salários e benefícios, que eram melhores na época do velho. Cortaram cerca de 70% a folha de pagamento, demitindo funcionários antigos e contratando com salários bem mais baixos. A PLR alta, que já foi um atrativo para estar aqui, é só uma ilusão. Queremos negociar a PLR, mas tem muito mais o que ser discutido, e hoje os trabalhadores não tem voz nenhuma na empresa.

Queremos voz nas escalas de trabalho

A empresa faz o que quer com a escala de horas, trocam feriado por sábado sem consultar, só passam o papel para assinarmos. E o pior, roubam horas de trabalho dos peões. Todos trabalham 1 hora a mais para compensar as pontes de feriado. Mas, se um feriado cai no meio das férias de um cara, ele não deixa de pagar as horas, dá de graça para a empresa. O mesmo acontece com os que trabalham no revezamento. Cada turma (das 6h e 14h) tem a sua escala. Quando o cara reveza e troca a turma, tem que aceitar a escala nova – pode ser que já folgaram um feriado e ele não. O RH diz: alguns ganham outros perdem. Que absurdo! É direito nosso escolher se vamos trocar feriado, queremos discutir as escalas! E o funcionário não pode trabalhar horas sem receber!

Queremos fim da perseguição a funcionários

Mesmo os funcionários reintegrados, com estabilidade, estão sendo perseguidos. O Prof. Xavier, dos tubos, está empenhado nessa função – estamos de olho! Quem não tem estabilidade, então, está sempre na mira. Se tiver anos de empresa e não quiser ser demitido, tem que entrar na CIPA. Só assim para se aposentar na Termomecânica. O trabalhador precisa gastar (churrascos, brindes, etc..) para ser eleito e garantir seu emprego. Que situação humilhante que a TM nos coloca!

Queremos fim dos acidentes

A CIPA se torna um refúgio para o emprego e seu verdadeiro papel se perde. Ela serve para evitar acidentes. Estes são gerados pela pressão do trabalho, condições ruins das máquinas e EPI’s. O cipeiro tem que estar no chão de fábrica fiscalizando. Tem que poder parar uma máquina que está rodando sem segurança. Mas aqui o cipeiro não apita nada. Tem só o direito de participar das reuniões de segurança, permancendo calado. O resultado é acidente praticamente todos os dias, e a culpa sempre empurrada para o peão. O Bombadinho deita e rola na segurança do trabalho!

Queremos saúde de verdade

A Termomecânica causa o adoecimento dos trabalhadores, físico e psicológico. A empresa sabe disso e tá de olho, para nos demitir antes de ter que arcar com os prejuízos. Jamais vemos os resultados dos exames periódicos que realizamos, eles saem da clínica e vão direto para a TM. Assim ela sabe se estamos adoecendo, e nós não! Abram o olho: o novo convênio de saúde obriga o trabalhador a levar os pedidos de exame para a empresa aprovar. Antes íamos direto do médico. Agora a TM tem mais controle sobre nossa saúde, e o objetivo dela é nos botar pra fora assim que apresentarmos qualquer sinal de doença!

Queremos ampliar a representação do chão de fábrica

Hoje o único órgão eleito e de reivindicação dos peões (apesar da pressão da TM) é a Comissão da PLR. Em reunião passada com a Comissão, o próprio LH disse que esta deveria, no futuro, também tratar de outros assuntos pendentes para além da PLR. Mencionou uma vez, mas morreu aí. Nós queremos ampliar os assuntos da comissão atual. Mas queremos uma Comissão que represente a vontade da peãozada. Nada de resolver as coisas sozinho, os eleitos só levam pra mesa a posição da maioria.

Em junho teremos eleição para a próxima Comissão da PLR e é preciso escolher os mais firmes. A chefia sempre coloca laranjas, que as vezes nem querem se candidatar. Rejeitaremos esses daí.
Termomecânica: enquanto não nos ouvir, nossa pressão vai aumentar e pode até explodir!

Assina: Poder do chão de fábrica

Leia também