! O Corneta | Swissport demite e suspende 70% no Santos Dumont

Swissport demite e suspende 70% no Santos Dumont

Trabalhadores de empresas aeroviárias entraram em contato com O Corneta e relataram para a gente o que está rolando dentro das empresas. No Santos Dumont, a Swissport, uma empresa que presta serviços auxiliares nos aeroportos, já demitiu e suspendeu cerca de 70% dos trabalhadores. Em Salvador, outro companheiro nos informou que a empresa demitiu mais 40 trabalhadores, já em Brasília as demissões também estão correndo soltas.

Mas não é só na Swissport. Todas as empresas aeroviárias estão demitindo trabalhadores e fazendo suspensão de contratos e reduções salariais. Os patrões não pensam duas vezes pra nos colocar nas ruas ou reduzir nossos salários, acabando com nossas economias, isso quando conseguimos guardar alguma economia. Na Latam, já somam-se quase 2.000 demissões, com mais de 1.200 em São Paulo, quase 300 no Rio de Janeiro, 150 em Minas e dezenas em outros estados.

Não podemos aguentar esse tipo de situação calados. Sem emprego e salário nós não vamos poder sustentar nossas casas e famílias. Quem ainda tem emprego, infelizmente não sabe o que vem por aí, por isso precisamos garantir com as nossas mãos o dia de amanhã.

Chega de confiar nos patrões que sugam nossa alma, exigem mil sacrifícios em nome da empresa, e na hora que a coisa aperta não pensam duas vezes antes de nos mandar pro olho da rua! Chega de confiar em direções sindicais que não fazem nada por nós! Só quem pode garantir nosso emprego e salário somos nós mesmos, pela nossa mobilização. Sem trabalhador não tem empresa, e eles sabem muito bem disso.

Eles colocam a culpa na pandemia, mas precisamos entender o que está por trás disso: é a crise do sistema econômico em que vivemos. Pra eles tentarem se manter de pé, sempre farão as custas da nossa miséria, demitindo milhões de trabalhadores ao redor do mundo e depois aumentando nossa exploração, fazendo a gente aceitar salários ainda mais baixos.

Não dá mais, companheiros. Ou lutamos agora, ou poderemos ver nossas famílias passando fome amanhã! Vamos à luta!