! O Corneta | Tá caro se lascar no Brasil

Tá caro se lascar no Brasil

O governo Bolsonaro está de plantão médico para atender os empresários. Em junho vai lançar decreto que reduzirá 90% das Normas Regulamentadoras (NRs) de segurança e saúde no trabalho! O intuito é diminuir o custo que os patrões têm com suas máquinas e peões. Se a peãozada já se ferra com as normas atuais, imagina agora!

Os patrões ditam o que é pra fazer e o governo, capacho, escreve: serão revistas as normas 1, 2, 3, 9, 15, 17, 24 e 28. Ou seja, regras que tratam de insalubridade, periculosidade, ergonomia, trabalho a céu aberto, etc.

Saúde pro patrão

A saúde fincanceira do patrão é o que importa, pra eles está caro demais a gente se lascar muito, temos então que nos lascar ainda mais! A primeira NR a ser revista será a 12 “que trata da regulamentação do maquinário, abrangendo desde padarias até fornos siderúrgicos”. Bolsonaro twittou: “há custos absurdos [para as empresas] em função de uma normatização absolutamente bizantina, anacrônica e hostil”.

O relator da Reforma Trabalhista, Rogério Marinho (que não conseguiu se reeleger como deputado e agora é recompensado pelo novo governo com um carguinho de secretário especial) vai tocar essa questão e saiu em defesa dos herois da nação: “Hoje o industrial brasileiro que compra uma máquina sofisticada normalmente gasta quase o dobro que o custo de transação, o que encarece nossa competitividade”. Estas belas palavras encobrem a cova onde enterram o trabalhador brasileiro.

Gerar empregos ou inválidos?

Membros do MPT e da Magistratura do Trabalho emitiram nota contrária lembrando que Bolsonaro ignora a tragédia na Vale de Brumadinho, o maior acidente de trabalho da história brasileira (com mais de 300 trabalhadores mortos). Os acidentes de trabalho de 2012 a 2018 custaram à Previdência Social cerca de R$ 83 bilhões!

Os patrões criam mais gastos para o Estado e o governo – que vive dizendo que é preciso cortar custos em tudo – propõe gastar ainda mais em nome do lucro de terceiros! Uma verdadeira transfusão de sangue da classe trabalhadora para a classe burguesa! E olha que o governo se gaba de ser “liberal” na economia! A liberdade de uns poucos é a exploração de muitos.

O governo busca reduzir a pó as NRs: menos multas, taxas e processos para as empresas, resultando em lucros maiores para a saúde do capital. Para o peão resta o agravamento do que já ocorre: mais lesões, acidentes, mortes e menos respaldo jurídico e previdenciário. Isso, quando sobra algum pedaço! Precisamos nos defender!

Leia aqui depoimento de operário sobre esta medida