! O Corneta | TRABALHAR ATÉ MORRER?

TRABALHAR ATÉ MORRER?

Tá correndo já no Congresso a Reforma da Previdência. O governo espera aprovar tudo até junho. Aí o trabalhador tá ferrado de vez. Foi enviada a reforma da previdência dos militares, mas é uma farsa! Eles vão ganhar um plano de carreira enorme, e no final das contas não pagarão pela reforma da previdência. Só o peão e o povão é que vão se ferrar, para todos esses parasitas (políticos, ricaços, altos militares) seguirem chupando nosso sangue.

O Dieese colocou na internet uma ferramenta para você ver como vai ficar a sua aposentadoria. Você pode entrar e verificar o quanto a mais vai ter que trabalhar para se aposentar com valor integral (isso se você tiver emprego, né?!).

Veja no site: https://www.dieese.org.br/evento/ calculadoraReformaPrevidencia.html

Os sindicatos estão querendo se mexer, ou fingindo que se mexem. A gente tem que unir a peãozada no chão da fábrica e fazer esses sindicatos fazerem mais do que só encenação e enrolação. É hora de ir pra rua

Por que ser contra a reforma?
Informações da CSP-Conlutas

Aumento da idade

O aumento da idade mínima para 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) é uma das principais perversidades. Isso vai impedir que a maioria dos trabalhadores se aposente. Afinal, com o desemprego e a informalidade existente no país, quem consegue se manter no trabalho e contribuir 40 anos para o INSS até essa idade? A situação é ainda pior para as mulheres, trabalhadores rurais e categorias como os professores que já enfrentam muitas dificuldades ao longo da vida e serão ainda mais penalizados, com regras mais duras.

Você vai pagar mais e receber menos

O objetivo do governo é impedir que os trabalhadores se aposentem. Mas, para aqueles que conseguirem, o plano de Bolsonaro é fazer com que contribuam mais e por mais tempo ao INSS e que recebam cada vez menos.

O trabalhador precisará contribuir por 40 anos para ter direito a receber o valor integral do benefício. Se contribuir por menos tempo, só irá receber cerca 60% do salário da ativa. Ainda assim, o tempo mínimo exigido subirá de 15 para 20 anos.

Além disso, há mudanças nas alíquotas de contribuição (aumento dos descontos para o INSS) e na forma de cálculo das aposentadorias (o valor será reduzido).

Ataques aos mais pobres

Não bastasse o aumento da idade mínima e do tempo de contribuição, a Reforma da Previdência reduz vários direitos previdenciários e ataca setores extremamente empobrecidos e precarizados, como idosos e trabalhadores rurais.

Há redução do benefício do BPC (Benefício de Contribuição Continuada), corte no pagamento do PIS/Pasep, aposentado que continuar trabalhando não terá direito ao FGTS, redução das aposentadorias por invalidez, regras mais duras para trabalhadores rurais.

Não existe rombo na Previdência

Uma das principais mentiras do governo é que a Previdência “está falida” e que existe um “rombo na Previdência”. Mas basta analisar os próprios dados do governo, sem as manobras que eles fazem, para ver que o tal déficit da Previdência é falso. Na verdade, o caixa de Seguridade Social, da qual a Previdência faz parte como determina a Constituição, é de superávit.

O problema é que eles desviam recursos da Previdência para pagar a Dívida Pública, através de mecanismos como a DRU (Desvinculação das Receitas da União), isenções bilionárias às empresas e conivência com o calote ao INSS. Assim, enquanto o povo se ferra, muitos vivem na mamata, com renda.